quinta-feira, 3 de abril de 2008

Pré-Modernismo no Brasil

O Pré-Modernismo No início das duas primeiras décadas do séc.XX, período em que os movimentos literários (Realismo, Naturalismo, Parnasianismo e Simbolismo)se apresentaram como períodos eclécticos (mistura); os artistas brasileiros não sabiam para onde deveriam direccionar sua arte e por causa dessa miscelânea da arte, resolveram dar um "basta" a essa mistura, realizando nos dias 13, 15 e 17 de Fevereiro de 1922 no Teatro Municipal em São Paulo, a "Semana da Arte Moderna" e com sua realização se tem o termino do Pré-Modernismo e início de um novo período literário, o Modernismo.Apesar de o Pré-Modernismo não constituir uma "escola literária", apresentando individualidades muito fortes, com estilos — às vezes antagónicos — como é o caso, por exemplo, de Euclides da Cunha e de Lima Barreto, podemos perceber alguns pontos comuns às principais obras pré-modernistas: Apesar de alguns conservadorismos, o caráter inovador de algumas obras, que representa uma ruptura com o passado, com o academiscismo; a linguagem de Augusto dos Anjos, ponteada de palavras "não-poéticas", como cuspe, vômito, escarro, vermes, era uma afronta a poesia parnasiana ainda em vigor. Lima Barreto ironiza tanto os escritores "importantes" que utilizavam uma linguagem pomposa quanto os leitores que se deixavam impressionar: "Quanto mais incompreensível é ela (a linguagem), mais admirado é o escritor que a escreve, por todos que não lhe entenderam o escrito" (Os bruzundangas).

Nenhum comentário: